BLOG

Tudo o que você precisa saber sobre a ressonância magnética

O uso da tecnologia se faz cada vez mais presente nos procedimentos médicos de imagem, promovendo análises minuciosas e resultados precisos.

A ressonância magnética é um dos mais avançados exames, podendo identificar, diagnosticar, auxiliar e monitorar tratamentos. Isso só é possível devido às imagens de alta resolução dos órgãos internos dos pacientes.

Ao longo deste conteúdo será possível saber o que é, como ocorre uma ressonância magnética, sua importância e muito mais. Continue acompanhando e boa leitura!

O que é uma ressonância magnética

A ressonância magnética (RM) pode ser definida como uma técnica de diagnósticos por imagens, a qual atua com campos magnéticos e ondas de rádio para capturar imagens internas do corpo humano.

Sendo um exame sem radiação, a ressonância magnética permite imagens detalhadas e tridimensionais, tudo de maneira não invasiva.

A tecnologia presente na RM promove respostas magnéticas no corpo, utilizando as informações para uma melhor visualização de órgãos, tecidos moles, ossos e articulações. Portanto, as imagens produzidas auxiliam os profissionais a diagnosticar, planejar tratamentos e monitorar a progressão das condições médicas com o passar do tempo.

Quando uma  ressonância magnética é indicada?

A realização de uma ressonância magnética ocorre nas mais variadas situações, considerando que os médicos necessitam de informações específicas das estruturas internas do corpo, realizando assim diagnósticos precisos e eficazes.

Com o seu uso para a análise de doenças cardíacas, abdominais, cervicais, neurológicas e ortopédicas, a RM produz imagens em 2D e 3D, sempre com alta definição da visualização dos órgãos. 

A necessidade desse tipo de exame pode surgir nas seguintes especialidades:

  • Ortopedia: utilizada para analisar os tecidos moles (músculos e cartilagens, por exemplo), destacando possíveis lesões de ligamento e hérnias de disco;

  • Neurologia: problemas de atrofias e lesões nos vasos sanguíneos cerebrais podem ser identificados com a RM. Além disso, auxilia no diagnóstico de enfermidades mais graves, como o AVC, Alzheimer, tumores cerebrais, entre outras;

  • Cardiologia: a ressonância magnética cardíaca serve para obter informações mediante as estruturas e funções do coração. As indicações ficam por conta dos diagnósticos de doenças cardíacas, detecção de tumores e avaliação de doenças nas artérias coronárias;

  • Ginecologia: tratando-se da saúde da mulher, o exame pode auxiliar no diagnóstico e acompanhamentos de miomas uterinos, crescimento de tecido endometrial na parede do útero, cistos de ovário e endometriose.

Entenda como esse exame de imagem é realizado e como se preparar para ele

O exame de ressonância magnética é realizado por meio de uma máquina, onde as imagens dos órgãos internos dos pacientes são projetadas, tudo isso por meio de um campo magnético. Com uma duração de aproximadamente 30 minutos, o exame é indolor e não invasivo.

Existem ainda tipos de ressonância, os quais vão de acordo com os locais examinados. Assim, os mais comuns e frequentemente indicados são:

  • ressonância magnética da pelve, abdômen ou tórax;
  • ressonância magnética do crânio;
  • ressonância magnética da coluna;
  • ressonância magnética das articulações;
  • ressonância magnética do cérebro e medula espinhal;
  • ressonância magnética do coração e dos vasos sanguíneos;
  • ressonância magnética dos órgãos internos;
  • ressonância magnética de ossos e articulações;
  • ressonância magnética da mama.

Já o processo de preparação é bem simples. Os profissionais solicitam que os pacientes troquem suas roupas pessoais pelas fornecidas no local do exame, removendo todos os acessórios e objetos metálicos.

A solicitação para remover os itens de metal se dá pois o equipamento tem um forte campo magnético, fazendo com que os metais sejam atraídos, e isso pode gerar imagens distorcidas e prejudicar os diagnósticos.

Tampões de ouvido são fornecidos para diminuir o barulho promovido pela máquina, tudo para que o paciente fique seguro e confortável. Além disso, os pacientes devem se manter imóveis durante todo o exame. Porém, em casos de claustrofobia ou ansiedade, pode ser necessário um preparo com sedação rápida. 

Conheça o S-scan

O S-scan é um aparelho de ressonância magnética responsável por garantir imagens musculoesqueléticas de qualidade. Tendo em vista o seu fácil acesso ao paciente, é ideal para aplicações avançadas, como a artrografia por RM, por exemplo.

Um dos mais econômicos sistemas de ressonância magnética torna o S-scan um aparelho de fácil instalação, baixo consumo de energia, ausência de criogênio e a opção para manutenções remotamente. 

Por último, destacamos que ele tem a mesa giratória com estrutura tubular aberta, tornando o posicionamento do paciente mais fácil, fornecendo estabilidade e conforto durante a realização das imagens.

Compatível com o DICOM, o S-scan é a solução que faltava para garantir sempre imagens de última geração e diagnósticos mais precisos.

Importância de ter um aparelho de ressonância magnética de qualidade

Os aparelhos de ressonância magnética são superimportantes nos setores clínicos. Assim, os procedimentos podem ser realizados de maneira precisa, tendo como resultado imagens claras e nítidas do local analisado.

Com uma RM de qualidade, os médicos conseguem visualizar partes do corpo em alta definição. Isso porque ela é projetada com tecnologia de ponta, garantindo máxima clareza e precisão dos detalhes obtidos.

Ou seja, ter um aparelho como esse, é ter a garantia de diagnósticos precisos, segurança dos pacientes, eficiência clínica e as melhores experiências no cuidado com a saúde.

Clique aqui, fale com nossos especialistas e adquira o melhor aparelho de ressonância magnética!

Mais Conteúdos
Saiba quais os benefícios de visualizar imagens com o DICOM