BLOG

Radiações e seus efeitos biológicos: saiba mais!

Você sabe quais os efeitos causados pelas radiações à saúde humana?

O assunto deve ser abordado com frequência, principalmente quando se trata de um ambiente responsável por realizar exames de imagem através de aparelhos de raio x, conhecidos pela alta demanda de radiação.

Ao longo desse conteúdo, será possível compreender o que é radiação, seus efeitos biológicos e muito mais. Boa leitura!

O que é radiação?

A radiação é definida como uma energia emitida por fontes naturais e até mesmo artificiais, que percorre o espaço através de ondas ou partículas eletromagnéticas.

As escalas dessas radiações são apresentadas por meio do espectro eletromagnético, que se mantém organizado através da ordem crescente de frequências.

Entre os exemplos de radiações, destacam-se a luz visível, a radiação infravermelha, as ondas de rádio e as micro-ondas.

Conheça os tipos e as classificações das radiações

As radiações são classificadas por termos (sendo eles alfa, beta, gama e raio x) e podem ainda serem divididas por campo magnético ou elétrico.

Radiação alfa

Conhecida por partículas ou raios alfa, trata-se de uma partícula carregada por dois prótons e dois nêutrons, que nada mais são do que núcleos de hélio. Assim, apresentam uma carga positiva +2 junto com uma massa 4.

É uma radiação de baixa potência, fazendo com que não passe, por exemplo, por uma folha de papel.

Radiação beta

Por ter uma potência maior, pode atravessar uma folha de papel, porém não tem capacidade para que a radiação ultrapasse o alumínio.

Raios ou partículas beta são elétrons, ou seja, partículas negativas com carga -1 e um número de massa igual a zero.

Radiação gama 

As radiações gama são ondas eletromagnéticas com carga e massa nulas, assim emitem calor de forma contínua, tendo capacidade de ionizar o ar e se tornar um condutor de corrente elétrica.

Diferentemente das outras radiações, a gama tem uma grande força de penetração, podendo ultrapassar o papel e o alumínio, por exemplo. É um tipo muito utilizado em radioterapias, sendo uma fonte natural, o que não impede de ser radioativo e prejudicial a seres vivos.

Raio x

O raio x conta com um alto poder de penetração, fazendo com que seu uso incorreto gere problemas à saúde.

Em sua maioria, são utilizados para diagnósticos de imagens precisos, sendo conhecidos por uma radiação artificial, formada apenas quando existe um acionamento de corrente elétrica pelos profissionais que utilizam o equipamento.

Radiação ionizante e não ionizante

Os tipos de radiação são subdivididos em ionizante, presente na NR-15, anexo nº 5, e a não ionizante, no anexo nº 7.

A radiação ionizante possui quantidade de energia suficiente para remover um elétron de um átomo e, consequentemente, produzir íons. Por outro lado, a radiação não ionizante somente aumenta a temperatura, causando agitação das moléculas, tudo isso sem alterar a estrutura do material.

A seguir, confira detalhadamente cada uma.

  • Radiação ionizante: além da capacidade de produzir íons e retirar elétrons de um átomo, ainda separa elétrons de outros átomos enquanto a radiação é penetrada na matéria, devido à sua maior carga de energia. Destacam-se as radiações alfa, beta e gama.

  • Radiação não ionizante: por não contar com uma energia forte na hora de remover os elétrons dos átomos, baseia-se em uma baixa frequência, junto com uma baixa liberação de energia. Ou seja, tem pouca força e não proporciona graves problemas à saúde. Por exemplo, luz visível, ondas de rádio, ultravioleta e infravermelho.

Classificações e tipos de efeitos biológicos

Na radiação, as consequências biológicas se classificam através do efeito estático, em que não se tem uma dose indicada de radiação para ocorrência de efeitos colaterais. Mesmo em doses baixas, os danos podem ocorrer, da mesma forma que, em doses altas, nada pode vir a acontecer. Ou seja, os efeitos podem surgir de qualquer maneira.

Além disso, há o efeito determinístico, em que os efeitos biológicos acontecem já com uma dose determinada de radiação. Assim, quanto maior for a quantidade, maiores serão os danos.

Os efeitos biológicos podem apresentar variações em relação à maneira com que transmitem radiação, como apresentadas abaixo.

  • Efeitos somáticos: quando uma pessoa adquire problemas resultantes de radiação, mas não são transmitidos aos seus descendentes.

  • Efeitos genéticos: costuma ser transmitido aos adolescentes, por meio do DNA. Isso quer dizer que uma pessoa com problemas em decorrência de radiação pode passar para os seus filhos.

  • Efeitos teratogênicos: a radiação recebida por uma mulher grávida, por exemplo, não vai atingi-la de forma direta, mas, sim, o feto, comprometendo a saúde do bebê.

Lembre que é superimportante manter proteção radiológica, afinal, como podemos perceber, os efeitos biológicos presentes nas radiações ionizantes são perigosos.

Profissionais desse setor devem sempre fazer uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI), além de só se expor se o ambiente for adequado e seguro.

Aproveite para acompanhar o blog FutureMed e não perder mais nenhum conteúdo importante como esse!

Mais Conteúdos
Saiba quais os benefícios de visualizar imagens com o DICOM