BLOG

Conheça os tipos de radiação utilizados nos exames radiológicos

Em algum momento, você já deve ter realizado um exame radiológico, afinal, é uma ferramenta essencial para a medicina, permitindo que os profissionais de saúde analisem detalhadamente o interior do corpo humano, tudo sem a necessidade de cirurgias invasivas.

Tudo isso só é possível devido ao uso e ao auxílio das substâncias radioativas presentes nos exames de imagem.

Ao longo deste conteúdo, será possível compreender mais sobre os tipos de radiação, os malefícios e os sintomas de se expor a ela e muito mais. Continue a leitura até o final!

Saiba o que é radiação e quais os seus tipos

As radiações são uma propagação da energia no vácuo, no espaço ou em materiais, sempre em forma de partículas (alfa, beta, position, elétrons, nêutrons e prótons), ondas eletromagnéticas (raios x e raios gama) e ondas mecânicas (chamadas de ondas sonoras).

Com isso, a radiação é uma forma de energia que possibilita sua utilização em exames de imagem. De maneira geral, as radiações classificam-se conforme a intensidade de energia: radiação ionizante e radiação não ionizante. Entenda!

Radiação ionizante

São altas energias, podendo alterar a estrutura da matéria, fazendo com que os átomos se transformem em íons. São radiações ionizantes:

  • raio x;
  • radiação alfa;
  • radiação beta;
  • radiação gama.

Radiação não ionizante

As radiações não ionizantes não contam com energia suficiente para ionizar uma matéria. Assim, são consideradas mais seguras quando comparadas às ionizantes.

Esse tipo de radiação é conhecido como campo eletromagnético, propagando-se por meio de uma onda eletromagnética criada por um campo elétrico e magnético. Como exemplo de exames que utilizam essa radiação, destacam-se a ressonância magnética (RM) e a tomografia computadorizada.

Malefícios e sintomas da exposição à radiação

De forma geral, o uso de radiação em exames de imagens pode gerar danos às células do corpo, o que aumenta o risco de câncer. Os efeitos a longo prazo são cumulativos, isso quer dizer que quanto mais exposto durante a vida, maior será o risco.

Os sintomas considerados imediatos mediante uma alta dosagem de radiação incluem náuseas, vômitos, infecções, anemia, hemorragia, diarreia, desidratação e queda de cabelo.

São sintomas temporários e desaparecem em pouco tempo, contudo, em casos raros, essa alta exposição tende a causar danos permanentes para a pele e tecidos internos, o que inclui:

  • danos genéticos;
  • alteração celular;
  • risco cancerígeno;
  • problemas de reprodução.

Principais exames que necessitam do uso de radiação

Exames radiológicos são essenciais para o setor diagnóstico, permitindo uma visualização completa das estruturas internas do corpo humano, além de auxiliar nos diagnósticos e tratamentos médicos.

É comum que se tenha receio por parte dos pacientes no momento da realização de exames radiológicos, tudo pela exposição à radiação, mas os avanços tecnológicos estão proporcionando baixas doses de radiação, o que torna os procedimentos seguros.

A seguir, confira a lista que separamos com os principais exames radiológicos que demandam o uso de radiação:

  • Radiografia de raio x : um dos exames mais realizados mediante fraturas ósseas, infecções pulmonares, localização de corpo estranho no organismo e muito mais. Durante o exame, a emissão de radiação ionizante é baixa para que as imagens apresentem fácil visualização, sendo um procedimento rápido, simples e indolor.

  • Tomografia computadorizada (TC): é um método utilizado para diagnósticos por imagens não invasivo, permitindo a visualização de órgãos, estruturas e tecidos de maneira detalhada quando comparada ao raio x. A TC é indicada para a investigação de acidente vascular cerebral (AVC), pneumonia, edema cerebral, fraturas, aneurismas e tumores. Além da radiação, em alguns casos é necessária a utilização de contraste venoso. 

  • Ressonância magnética: este exame é indicado para a visualização de estruturas anatômicas internas do corpo, além da análise completa de processos biológicos. É um exame seguro, principalmente para as gestantes, pois ao invés de empregar radiação ionizante, conta com ondas eletromagnéticas. A RM permite imagens nítidas de tecidos moles, sendo um exame de alta precisão.

  • Medicina nuclear: um setor que vem ganhando cada vez mais espaço pelo uso de métodos seguros, indolores e não invasivos, tudo com administração de materiais radioativos, porém em quantidades mínimas. Os mais utilizados na medicina nuclear ficam por conta da tomografia por emissão de pósitrons (PET/CT) e a cintilografia.

Saiba como se proteger durante a realização de exames com exposição radioativa

Como pudemos ver ao longo deste conteúdo, a radiação é um risco presente nos exames de imagem, mas profissionais e pacientes podem e devem adotar medidas para se proteger dessa radiação. Confira os exemplos:

  • redução de dose – racionalização do contraste;
  • uso dos EPIs, que incluem aventais de chumbo, protetores de gônadas e de tireoide;
  • realização de exames somente quando houver necessidade.

Vale ressaltar que algumas pessoas podem ser mais sensíveis à radiação, como mulheres grávidas, crianças e idosos. Assim, para que os exames de imagem sejam realizados com segurança, é superimportante que as recomendações passadas pelo médico sejam seguidas.

O que achou deste conteúdo? Esperamos que ele tenha sido enriquecedor. Não deixe de acompanhar mais assuntos relevantes sobre o setor radiológico, acesse nosso blog e esteja sempre atualizado!

Mais Conteúdos
Saiba quais os riscos e como proteger o pet em exames radiológicos
Saiba o que é e quais os melhores equipamentos de ressonância magnética do mercado